domingo, 20 de setembro de 2009

AS DISPUTAS IBÉRICAS:OS TRATADOS ULTRAMARINOS


A corrida expansionista de Portugal e Espanha gerou, já na segunda metade do século XV, inevitáveis conflitos e inúmeras controvérsias acerca do direito de posse sobre as terras descobertas ou a descobrir.Com o objetivo de definir os direitos de cada país, formularam-se diversos tratados, dos quais o primeiro foi o Tratado de Toledo, assinado em 1480.Esse tratado, que garantia a Portugal as terras a descobrir ao sul das ilhas Canárias, constituiu uma importante vitória da diplomacia lusitana, pois assegurava a Portugal a rota das Índias pelo sul da África.



Todavia, após a viagem de Colombo, em 1492, as decisões impostas por esse tratado tornaram-se insustentáveis.Em 1493, o papa Alexandre VI editava a Bula Intercoetera, que determinava a partilha do mundo ultramarino entre espanhóis e portugueses.Um meridiano situado 100 léguas a oeste do arquipélago de Cabo Verde destinava a Portugal todos os territórios situados a leste, e à Espanha, as terras localizadas a oeste do meridiano.



Sentindo-se prejudicados, os portugueses contestaram energicamente esse tratado e exigiram sua reformulação.Depois de um período de negociações entre os dois países, um acordo foi celebrado em 1494, na cidade de Tordesilhas, na Espanha.O Tratado de Tordesilhas substituía a linha divisória anterior por outra, situada 370 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde.Com esse tratado tornavam-se mais amplas para Portugal as possibilidades de conquistar terras no Atlântico ocidental, cuja existência já era do conhecimento dos portugueses.



5 comentários: